Filofobia: Medo do amor

medo do amor (ou de se apaixonar) é conhecido como filofobia. A palavra se origina do grego “filos”, que significa “amar ou amado”. Os indivíduos que sofrem desta fobia têm medo do amor romântico ou de formar laços emocionais, de qualquer tipo. No que diz respeito a lista de fobias incomuns, filofobia certamente está na primeira fila. Muitas vezes, essa fobia é conhecida por ter raízes culturais ou religiosas, onde a pessoa pode ter sido comprometida com um casamento arranjado e, portanto, teme se apaixonar.

A condição pode afetar muito a vida, de tal forma que se torna difícil formar relacionamentos saudáveis. Essas pessoas tendem a viver suas vidas em solidão, mesmo que também tenham medo da solidão.

Acredita-se que a rainha Isabel I, da Inglaterra, poderia ter filofobia. Ela permitiu que vários pretendentes a cortejassem, mas as coisas nunca resultaram em casamento ou compromisso. Os historiadores acreditam agora que sua condição pode ter surgido por ter ela visto sua mãe Anne Boleyn, bem como o seu primo, executados por amor. O facto de que seu próprio pai foi o responsável pela execução pode tê-la feito acreditar que todos os relacionamentos românticos tem um final trágico.

Causas

Filofobia é um medo irracional de se apaixonar injustificado. Às vezes, o doente não se apaixona, mas provoca uma intensa turbulência emocional em sua mente. Existem muitas teorias do porque isso pode acontecer:

  • Alguns terapeutas acreditam que uma experiência intensamente negativa no passado pode ter provocado a reação e causado a fobia de amor. Divórcio dos pais ou testemunhar violência doméstica na infância pode causar filofobia.
  • Como afirmado anteriormente, muitas culturas e religiões proíbem amor romântico ou colocam relações entre homens e as mulheres como ilícitas sob certas circunstâncias. Isso pode causar intenso pânico na mente da pessoa que possui filofobia quandoela acredita firmemente que vai incorrer na ira dos anciãos / sociedade ou Deus.
  • Medo de compromisso devido a alguns relacionamentos fracassados, pensamentos negativos constantes, transtornos de ansiedade e de pânico são também ligados a filofobia. As pessoas excessivamente ansiosas podem ser mais propensas a desenvolver o medo de amor.

A natureza, extensão e causas da filofobia variam de caso para caso.

Os sintomas da filofobia variam de indivíduo para indivíduo

  • Algumas pessoas têm tanto medo do amor que não podem abrir-se para ninguém. Elas têm relacionamentos e compromissos, mas não são duradouros.
  • Seu bem-estar depende muitas vezes das respostas que recebem do outro. Isto pode mantê-lo tenso e ansioso o tempo todo. Podem ser extremamente possessivos ou, pelo contrário, podem afastar seus entes queridos com o seu desprendimento – um comportamento de evitação comum na filofobia que de certa forma evita os danos causados por relações.
  • A pessoa também experimenta ansiedade severa devido às pressões de compromisso: inquietação, respiração superficial, aumento da freqüência cardíaca, náuseas, e dores no peito são alguns sintomas físicos que podem ser atribuídos a filofobia.
  • Pânico e ataques de ansiedade também são comuns. Muitas vezes há tonturas, ou vontade de fugir, chorar, tremores ou suor em excesso, ou mesmo sensação de desmaio. 

Como perder medo de se apaixonar

Muita conversa e psicoterapia!

Para qualquer medo é importante falar e ouvir sobre ele, entender como você funciona, e por que reage dessa forma.

É importante também gerir os ataques de ansiedade. Há medicamentos eficazes nos sintomas. No entanto, não são uma solução permanente. É preciso contar com psicoterapia, pois oferece solução gradual e permanente.

Fonte: Psicoativo

Deixe uma resposta