Trabalha-se a criação ou aprimoramento do senso crítico, a subjetividade, a compreensão e comunicação do indivíduo com o meio em que vive. É um espaço para (re)orientação, descoberta de potencialidades, insights. É a possibilidade de criar novas rotas, novos destinos.

Na terapia individual são abordadas várias questões, como ansiedade, stress laboral, síndrome do pânico, fobias específicas, depressão, luto, stress pós-trauma, TOC, compulsões diversas, transtornos alimentares (anorexia, bulimia e obesidade), dificuldades de adaptação ou aprendizagem, doenças crônicas, disfunções sexuais, conflitos de relacionamento, organização financeira, transtornos de personalidade, enxaquecas, traumas, etc.

A vida não está aí apenas para ser suportada ou vivida, mas elaborada. Eventualmente reprogramada. Conscientemente executada. Não é preciso realizar nada de espetacular. Mas que o mínimo seja o máximo que a gente conseguiu fazer consigo mesmo.Lya Luft

1.1. Individual – Adolescente


sm-terapia_adolescenteO adolescente precisa de orientação, pois está em uma fase de muitas mudanças e decisões: Relacionamentos, escolha de grupos de amigos e causas sociais, valores, referências, religião, descoberta sexual, preconceitos, escolha da profissão, vestibular. Associado a todos os fatores externos, os internos acabam tornando-se verdadeiras tempestades, que podem trazer danos irreversíveis para suas vidas.

Muitos dos comportamentos contraditórios, ora agressivos e egoístas, ora dependentes e inseguros, aparecem por estarem perdidos nesta confusão interna, e descontam nos pais as frustrações cotidianas, dificultando ao máximo o diálogo. Além disso, nesta fase podem surgir os transtornos alimentares, o uso de drogas e tendência à delinquência.

Não podemos igualar as ações clínicas para todas as situações/famílias sem diferenciar seus aspectos culturais, socioeconômicos, raciais e étnicos, por isso é necessário a colaboração da família neste processo. As estruturas de personalidade ainda não estão completamente sedimentadas e, portanto, existe muita mobilidade – no sentido de criar novas alternativas. Nesta etapa tudo pode ser modificado. O terapeuta entra, então, como facilitador neste processo, removendo aquilo que impede o potencial total do adolescente.

Tentei não fazer nada na vida que envergonhasse a criança que fui.
José Saramago

1.2. Individual – Adulto


sm-terapia_adultoO adulto deve ser um “gerente” diariamente, bem sucedido em todas as áreas da sua vida. Na maioria das vezes essa exigência nos paralisa, deturpa o significado de “felicidade”. Infância, juventude, idade adulta, velhice: são capítulos de uma história de vida que se constrói e reconstrói constantemente. Seu significado é encontrado na textura das próprias vidas.

Pergunte ao seu redor: “Quando você sente que é um adulto?” Todos tem uma história para contar: uma morte, um nascimento, um sofrimento, uma grande conquista. E se por acaso você não se sentir adulto?
Casamento, sexualidade, gravidez, adaptação com filhos pequenos, divórcio, recasamento, educação dos filhos, manejo com os filhos adolescentes, formas de cuidado com pais idosos, adaptação com os filhos do novo parceiro. As dificuldades que surgem nessa fase também podem ser conduzidas com o auxílio de um psicólogo.

Ter experiência não é ter visto tudo e ter feito tudo. É sim, ser capaz de lidar com o que nunca vimos ou fizemos, com situações novas ou incomuns. É, para usar uma fórmula de Georg Hegel, olhar o mundo do ponto de vista do fim da história. Ser capaz de integrar os eventos em uma grade de interpretação e num quadro de uma história.

É uma infelicidade que existam tão poucos intervalos entre o tempo em que somos demasiado novos e o tempo em que somos demasiado velhos.
Montesquieu

1.3. Individual – Idoso


sm-terapia_idosoAposentadoria, doenças próprias da idade e doenças crônicas, viuvez e perda de pessoas próximas. Tudo isso pode levar o idoso à depressão e isolamento. Nessa fase é essencial o cuidado com a autoestima e descoberta de novas formas de manter-se ativo.

Pensar nessa fase da vida como sendo ainda produtiva e possível de ser bem vivida é uma tarefa de todos nós. Algumas medidas podem ser tomadas. Entre elas encontra-se a psicoterapia, seja ela individual ou em grupo.

O processo psicoterapêutico pode auxiliar o idoso a entender melhor sobre sua condição de saúde, o uso de medicamentos e tratamentos médicos, além de ajudá-lo a entrar em contato com questões emocionais e psíquicas, possibilitando assim uma diminuição dos sofrimentos. A psicoterapia com o idoso visa também beneficiar os cuidadores e a família, uma vez que, sendo cuidado, e recebendo o devido valor, o idoso saberá se posicionar melhor frente às adversidades da vida, e lidar de maneira mais adequada e adaptada com todos os que com ela convivem. Percebe assim, uma nova maneira se ver e se posicionar no mundo, com mais alegria, otimismo e bem-estar.

O intervalo de tempo entre a juventude e a velhice é mais breve do que se imagina. Quem não tem prazer de penetrar no mundo dos idosos não é digno da sua juventude.
Augusto Cury