sm-sobrePsicoterapia é o tratamento das disfunções e/ou problemas emocionais ou comportamentais. O objetivo é eliminar/amenizar sintomas ou desconforto existentes, alterar padrões disfuncionais de comportamento e nas relações interpessoais, promovendo assim o bem-estar e o crescimento do indivíduo. A terapia proporciona uma nova forma de olhar e se comportar.

A relação psicoterápica permitirá que as “forças emocionais encobertas”, encontrem uma saída, ou seja, a descoberta de processos inconscientes contribui para que o paciente perceba o que está limitando sua liberdade. Significa que o indivíduo pode ser criativo, e não apenas submisso às exigências, livre da dependência do desejo de outro, conseguindo comunicar os seus sentimentos, amar e ser amado, enfrentar frustrações e as dificuldades cotidianas.

Há várias linhas teóricas que podem pautar a terapia. Como o ser humano é multifacetado, optamos por utilizar técnicas integradas, assim o terapeuta tem a liberdade de interagir com o paciente, utilizando-se das técnicas conforme o momento do paciente e a complexidade de sua problemática.

A identidade da Psicologia é o que a diferencia dos demais ramos das ciências humanas, e pode ser obtida considerando-se que cada um desses ramos enfoca o homem de maneira particular. Assim, cada especialidade – a Economia, a Política, a História etc. trabalha essa matéria-prima de maneira particular, construindo conhecimentos distintos e específicos a respeito dela. A Psicologia colabora com o estudo da subjetividade: é essa a sua forma particular, específica de contribuição para a compreensão da totalidade da vida humana.

Nossa matéria-prima, portanto, é o homem em todas as suas expressões, as visíveis (nosso comportamento) e as invisíveis (nossos sentimentos), as singulares (porque somos o que somos) e as genéricas (porque somos todos assim). É o homem-corpo, homem-afeto, homem-ação e tudo isso está sintetizado no termo “subjetividade”. Ao vivenciarmos o mundo social e cultural, construímos nosso mundo interior.

Os sonhos são uma pintura muda, em que a imaginação a portas fechadas, e às escuras, retrata a vida e a alma de cada um, com as cores das suas ações, dos seus propósitos e dos seus desejos.
Antonio Vieira